O que é

O pé boto é uma patologia caracterizada por uma deformidade congénita normalmente provocadas por várias deformações. A patologia mais recorrente é o pé boto equino, em que o pé está virado para baixo, como se fosse um prolongamento da estrutura da perna, ou/e apresenta a parte da frente desviada para o interior (pé varo) e, com alguma frequência, uma exagerada curvatura plantar.

Embora a origem ainda não seja exactamente conhecida, considera-se que é provocada – na maioria dos casos – por uma alteração genética que determina uma paragem no crescimento do pé durante o desenvolvimento embrionário. Noutros casos, pode ser originado por uma má posição fetal no interior do útero. Independentemente do tipo de pé boto, a sua principal consequência, caso a patologia não seja corrigida, consiste no facto de o bebé não conseguir apoiar adequadamente o pé no chão, nem caminhar com normalidade.

Sintomas

Os sintomas são visíveis logo após o nascimento, pois o pé do bebé não assenta no chão devido ao seu incorrecto posicionamento. Pode até ser identificado mesmo antes da nascença através de um exame ecográfico.

Diagnóstico

Desenvolve-se entre as 14 e as 18 semanas de gestação e, muitas vezes, às 20 semanas é possível efetuar um diagnóstico ecográfico. A doença pode ser unilateral ou bilateral (em um ou nos dois pés) e o diagnóstico é simples já que a doença é facilmente identificada.

Tratamento

Embora o tratamento do pé boto seja difícil e moroso, quando é iniciado nos primeiros meses de vida e se respeitam todos os passos, costuma ser eficaz não sendo necessário proceder à cirurgia. Nesta situações, a correcção do pé passa pela realização de manipulações ligeiras e progressivas, com o objectivo de manter o pé na posição correcta através de talas adequadas durante um determinado período de tempo. Existe também o método Ponseti, largamente divulgado nas últimas décadas, que consiste no uso de gessos. Pode saber mais sobre o método de ponseti aqui.

Por outro lado, quando o tratamento não é imediatamente iniciado, são raros os casos em que se consegue obter a completa correcção, mesmo através da cirurgia, e nestes casos a patologia pode provocar incapacidade permanente com vários graus de gravidade, sendo frequentemente necessário utilizar calçado ortopédico. Após a cirurgia é necessário efectuar um tratamento de reabilitação que permita ao pé adquir a sua normal funcionalidade.

A duração do tratamento varia de caso para caso, consoante as características da patologia. Em alguns casos consegue-se a total correcção num prazo de um ano, enquanto que por vezes é necessário o acompanhamento durante vários anos.

Dicas

  • Não prolonge a patologia do bébe caso esta esteja identificada.
  • Visite o seu podologista para mais informações.

 

Embora o tratamento do pé boto seja difícil e moroso, quando é iniciado nos primeiros meses de vida e se respeitam todos os passos, costuma ser eficaz não sendo necessário proceder à cirurgia.

 

A informação contida neste artigo não dispensa a consulta de um especialista.

Marque a sua consulta na ‘Clínica de Podologia – Braga‘ e cuide já da sua saúde.

MARCAR CONSULTA