A importância da Podologia no tratamento das Onicomicoses (Micoses nas Unhas)

Tratamento das Onicomicoses (Micoses nas Unhas)

O que são

As onicomicoses (micoses nas unhas) são infecções provocadas por fungos ou leveduras (ex: cândidas) nas unhas. As unhas dos pés, fechadas dentro do calçado, são mais afectadas que as das mãos, pois oferecem um ambiente com um maior grau de humidade e de aquecimento, mais propício ao desenvolvimento dos fungos. Além disso, a queratina, material de que a unha é composta e que serve de “alimento” dos fungos, é mais abundante nas unhas dos pés que nas das mãos.

Sintomas

As onicomicoses não são apenas esteticamente desagradáveis. Trata-se de uma patologia que pode tornar-se dolorosa e até dar origem a outras patologias, como onicogrifoses (engrossamento das unhas), onicocriptoses (encravamento da unha), etc. Se não tratadas devidamente e atempadamente, constituem uma porta de entrada para múltiplos micro-organismos que podem ocasionar infecções graves.

Nas onicomicoses, as unhas ficam frequentemente mais grossas ou extremamente quebradiças, com aspecto envelhecido e com uma coloração diferente, que pode ir desde o esbranquiçado até ao amarelado, acastanhada ou até mesmo esverdeado. Podem estar descoladas do leito ou com manchas brancas e apresentar depósitos “farinhentos” que dão origem a odores desagradáveis.

Tratamento

É fundamental que o tratamento desta patologia seja realizado por um Podologista. O tratamento pode demorar entre 6 e 8 meses, nos casos menos graves ou mais iniciais, e nos casos mais avançados pode demorar entre um ano ou mais até a cura estar completa – este é o tempo necessário para que a unha cresça na totalidade, já que cresce apenas cerca de 2mm por mês e é importante manter o tratamento até à completa regeneração da unha afectada.

Os tratamentos podológicos de onicomicose consistem no rebaixamento das unhas e procedimentos de limpeza, que ajudam na actuação da medicação farmacológica e na reeducação ungueal, por forma a garantir o correcto crescimento da unha e para que esta volte a adquirir a sua configuração normal. A frequência dos tratamentos alterna, podendo ser mensal, bimensal ou trimensal, dependendo do grau de afectação das unhas, sendo sempre associados a tratamentos farmacológicos.

Todas as pessoas estão em perigo de contrair onicomicoses. Contudo, a probabilidade é maior para os profissionais de limpeza e jardinagem, utilizadores de piscinas e/ou balneários públicos, praticantes de desporto e pessoas mais idosas. Quem sofre de dermatomicoses (micoses da pele) ou patologias como a diabetes, obesidade, problemas podológicos, doenças cardiovasculares e imunodeficiências está também mais sujeito.

Causas

Habitualmente, as onicomicoses surgem por exposição directa aos microorganismos, isto é, quando as unhas entram em contacto directo com o fungo ou são invadidas por contágio. Como forma preventiva de evitar o seu aparecimento, deve-se manter hábitos de higiene rigorosos nos pés, que incluem evitar andar descalço em pisos molhados ou na terra; usar calçados leves e bem ventilados; usar sempre chinelos ao tomar banho em ginásios e preferir sempre as meias de algodão às de tecido sintético.

Aconselha-se também uma vigilância periódica e, no caso de detecção de algum dos sintomas, recorra de imediato a uma consulta de Podologia de forma a evitar que as onicomicoses dêem origem a problemas mais graves.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *